iTunes

Abrindo a iTunes Store.Se o iTunes não abrir, clique no ícone de aplicativo do iTunes no dock ou área de trabalho do Windows.Indicador de progresso
Abrindo a iBooks Store.Se o iBooks não abrir, clique no app iBooks em seu dock.Indicador de progresso
iTunes

O iTunes é a maneira mais fácil de organizar e aumentar sua coleção de mídia digital.

Não foi possível encontrar o iTunes no seu computador. Para ouvir uma prévia e comprar música Dry Bones Dance de @artistName[?]

Já tem o iTunes? Clique em Já tenho o iTunes para abri-lo agora.

Eu tenho o iTunes Download grátis
iTunes para Mac + PC

Dry Bones Dance

Abra o iTunes para ouvir prévias, comprar e baixar música.

Opinião do álbum

Coming three years after the interesting (if unsuccessful) iDEoLA experiment, Mark Heard returns with a rich, rootsy album full of intelligent lyrics and well-layered music. Styles range from folk to Appalachian to zydeco. And all of these diverse styles are augmented by the Chapman stick of Fergus Jemison Marsh, more widely known for his work with Bruce Cockburn. The sounds of the more traditional instruments really color this record well — the accordion, the mandolin, the violin, the hammered dulcimer — rich instrumental painting and texture. The album has an energetic opening with "Rise From the Ruins" and the title track, and there's lots of clever wordplay on "Our Restless Hearts." The high point on this record is one of Heard's prettiest songs, "Strong Hand of Love." The trilogy of this album, Second Hand, and Satellite Sky comprise Heard's strongest work. ~ Mark W. B. Allender, Rovi

Biografia

Nascido em: 1951 em Macon, GA

Gênero: Religiosa

Anos em atividade: '80s, '90s

A brilliant, poetic singer/songwriter, his work displayed a deep spirituality and an honesty to the human condition uncommon in CCM. Heard died in 1992 of heart failure; High...
Biografia completa
Dry Bones Dance, Mark Heard
Ver no iTunes

Avaliações de clientes

Não recebemos avaliações suficientes para exibir uma média para este item.

Influências

Contemporâneos