14 Músicas, 44 minutos

NOTAS DOS EDITORES

O álbum de estreia do Barão vermelho foi um dos álbuns inaugurais da cena do rock brasileiro dos anos 80. Embora não tenha feito sucesso na época, com o passar do tempo, tornou-se referência na música nacional. A sonoridade roqueira com letras poéticas já eram notáveis nas composições de Cazuza, como "Bilhetinho Azul", “Down on Me”, “Ponto Fraco” e “Todo Amor que Houver Nessa Vida” – essa última incluída por Caetano Veloso em seu show no ano de 1983. O álbum foi produzido por Ezequiel Neves que, depois de ouvir uma fita demo, convenceu o pai de Cazuza e então presidente da Som Livre, João Araújo, a gravar o álbum.

NOTAS DOS EDITORES

O álbum de estreia do Barão vermelho foi um dos álbuns inaugurais da cena do rock brasileiro dos anos 80. Embora não tenha feito sucesso na época, com o passar do tempo, tornou-se referência na música nacional. A sonoridade roqueira com letras poéticas já eram notáveis nas composições de Cazuza, como "Bilhetinho Azul", “Down on Me”, “Ponto Fraco” e “Todo Amor que Houver Nessa Vida” – essa última incluída por Caetano Veloso em seu show no ano de 1983. O álbum foi produzido por Ezequiel Neves que, depois de ouvir uma fita demo, convenceu o pai de Cazuza e então presidente da Som Livre, João Araújo, a gravar o álbum.

TÍTULO DURAÇÃO

Músicas

Álbuns

Ouvintes também reproduziram